sábado, Maio 21, 2011

196. PROGRAMAS CURRICULARES

[Mestre na ESTC]

1. A IMAGEM

1.1 Imagem: polissemia do termo. A imagem icónica. Campo e fora-de-campo: escolher é eliminar. A imagem rectangular não é universal. A tecnologia condiciona a imagem.

1.2 A representação da profundidade.
A imagem, um simulacro. Sistemas de representação não ocidentais. A perspectiva renascentista. A superfície plana como espaço autónomo.

1.3 O trabalho da luz. Fontes físicas – fontes místicas de luz. A organização do espaço como elemento narrativo.

1.4 O instantâneo: uma nova maneira de observar. A fotografia “directa”. O olho móvel e disponível.


Sumário da primeira unidade didáctica da cadeira de “Introdução ao Estudo da Imagem”, do 1.º ano do Curso de Cinema da Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa). Esta primeira unidade era da responsabilidade de António Reis.
É provável que este esquema base, ainda que com maior desenvolvimento, se repetisse em outras cadeiras leccionadas por António Reis.

***

«Quanto aos programas [curriculares] do António… eram sempre três linhas… Tentei várias vezes convencê-lo a desenvolver os planos de estudo dele, mas não consegui. Dizia-me sempre “isto chega perfeitamente”. (…) A ideia de fazer programas era pôr em causa a sua própria liberdade de “inventor de ensino”, e, portanto, recusou-se sempre a fazer um programa pormenorizado, fugindo completamente às normas».

«magistério intempestivamente oral»

«Embora tenha sido há bastante tempo,
lembro-me de uma pequena folha A4 com quatro pontos
que materializavam o programa que ele organizava num esquema,
e depois era seguido».

Alberto Seixas Santos,
José Bogalheiro
e Pedro Costa
(respectivamente)

in Moutinho, Anabela; Lobo, Maria da Graça (org.)
- António Reis e Margarida Cordeiro - a poesia da terra, p. 55, 57 e 64,
Cineclube de Faro, Faro, 1997."

sexta-feira, Maio 20, 2011

195. MESTRE NA ESCOLA SUPERIOR DE TEATRO E CINEMA [ESTC]

[Mestre na ESTC]

António Reis foi professor (ou mestre, como preferia ser chamado) durante 15 anos na Escola Superior de Teatro e Cinema (à altura no Conservatório Nacional de Lisboa).

Iniciou a sua actividade lectiva na ESTC em 1977 com a cadeira de “Espaço Fílmico”.

Ao longo da sua vida como mestre de cinema foi o responsável pelas cadeiras de “Análise de Filmes”, “História da Imagem” e “Direcção de Actores”.
Leccionou ainda, aos alunos do 1.º ano, a primeira unidade didáctica da cadeira de “Introdução ao Estudo da Imagem”.
Seguiu, também, muito de perto, os exercícios filmados nos diferentes anos do curso de Cinema.

O seu último ano lectivo na ESTC foi o de 1990-1991, tendo falecido a 10 de Setembro de 1991.

quarta-feira, Maio 18, 2011

194. EM BUSCA DAS SUAS AULAS...

[Mestre na ESTC]

“Sujeito porventura a ser desfigurado pelo esquecimento ou pela efabulação marginal estará o património magistral das suas aulas. Com diferenças segundo os tempos e os alunos, esse magistério intempestivamente oral terá tido registos na sua maioria irrecuperáveis. Um obstinado rigor seria, por isso, necessário para um levantamento de pontos axiais das suas lições”.

José Bogalheiro, director do Departamento de Cinema da Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC),
in Moutinho, Anabela; Lobo, Maria da Graça (org.) - António Reis e Margarida Cordeiro - a poesia da terra, p. 57, Cineclube de Faro, Faro, 1997.

Se foi aluno de António Reis ajude-nos a fazer o levantamento de que fala o Professor José Bogalheiro. Deixe a sua colaboração nos comentários ou através do email.